Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Universidades norte-americanas promovem seminários com Comissão de Anistia

General

Universidades norte-americanas promovem seminários com Comissão de Anistia

por publicado: 07/10/2013 13h00 última modificação: 21/02/2014 10h25

As campanhas realizadas nos Estados Unidos na década de 1970 contra a ditadura e pela anistia no Brasil serão tema dos seminários promovidos pela Comissão de Anistia em parceria com as universidades norte-americanas de Columbia (Nova Iorque) e Brown (Providence). Os seminários internacionais “Brazil: Amnesty, Transitional Justice, and the legacies of dictatorship” serão apresentados pelo presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão, que também vai ministrar palestra no Trinity College, em Connecticut. O objetivo dos eventos é o de ampliar o conhecimento público sobre as campanhas contra a tortura e pela democracia no exterior.

O professor do Departamento de História da Brown University, James Green, ressalta o apoio do governo norte-americano ao golpe militar de 1º de abril de 1964, apesar de ter havido resistência de seus cidadãos à ditadura. “Muito se fala sobre o reconhecimento imediato por parte do governo norte-americano de Presidente Lyndon Johnson e do apoio do embaixador Lincoln Gordon aos golpistas de 1964. Porém, poucos sabem sobre o papel de um pequeno grupo de clérigos, acadêmicos e ativistas norte-americanos que organizaram campanhas nos Estados Unidos contra as violações dos direitos humanos e a tortura no Brasil, e a importâncias dessas iniciativas”, ressalva o pesquisador.

Para o presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão, "essas atividades representam uma oportunidade singular para refletirmos sobre a importância da mobilização transnacional de solidariedade ao Brasil e a América Latina, e para homenagearmos aqueles homens e mulheres que colocaram suas vidas à disposição da luta pela liberdade no Brasil".

Homenagem à memória

A Comissão de Anistia e as universidades parceiras também irão homenagear cidadãos norte-americanos que receberam exilados brasileiros e ajudaram a divulgar as violações contra os direitos humanos praticadas pela ditadura brasileira. Entre os homenageados estão William Wipfler, do Conselho Mundial de Igrejas; Paul Silberstein, do Brazilian Information Bulletin de Berkey, Califórnia, e Marcos Arruda, do Comitê contra a Repressão no Brasil, de Washington-DC.

Pesquisadores de importantes instituições brasileiras e americanas, como a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade de Brasília (UnB) e Tulane University, também participam dos seminários. A abertura do evento na Brown University contará ainda com a presença do ex-presidente do Chile, Ricardo Lagos, do diretor do Watson Institute for International Studies, Richard Locke, e do Consul do Brasil em Hartford, Cesar Amaral.

A participação nas atividades é gratuita e não é necessária inscrição prévia.

Programação:

08/10: Palestra do Dr. Paulo Abrão, seguida de debate, no Trinity College, Hartford, Connecticut; Visita à instituição para o estabelecimento de parcerias.

09 e 10/10: Seminário Internacional “Brazil: Amnesty, Transitional Justice, and the legacies of dictatorship”, organizado pela Comissão de Anistia em parceria com a Brown University e PNUD, em Providence, Rhode Island.

11/10: Seminário Internacional “Brazil: Amnesty, Transitional Justice, and the legacies of dictatorship”, organizado pela Comissão de Anistia em parceria com a Columbia University, em Nova Iorque.

Outras informações: 

Brown University:
http://watson.brown.edu/events/2013/brazil-amnesty-transitional-justice-and-legacies-brazilian-dictatorship

Columbia University:
http://library.columbia.edu/locations/chrdr/news_events/brazilamnesty.html