Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Raul Schmidt responderá por seus crimes no Brasil, garante Torquato

Destaque

Raul Schmidt responderá por seus crimes no Brasil, garante Torquato

por publicado: 11/05/2018 19h33 última modificação: 14/05/2018 15h59
Ministro da Justiça explica processo de extradição de empresário investigado na Operação Lava Jato, denunciado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa

Foto MJ nova

Brasília, 11/5/2018 - O governo brasileiro apresentou na manhã desta sexta (11) uma manifestação à Justiça portuguesa em prol da extradição do empresário Raul Schmidt Felippe Júnior, investigado pela Operação Lava Jato, acusado de pagar propina a ex-diretores da Petrobras. Schmidt foi denunciado pelo Ministério Público à 13ª Vara da Justiça Federal do Paraná por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Preso em Portugal em 2016, ele está em processo de extradição para o Brasil. Mas o fato de ter cidadania portuguesa desde 2011 está sendo usado pela defesa para dificultar a vinda ao país. O ministro da Justiça, Torquato Jardim, explicou algumas peculiaridades do processo. Segundo ele, Schmidt será extraditado e responderá por seus crimes no Brasil.  

Ministro, o que o governo brasileiro está fazendo para conseguir a extradição do empresário Raul Schmidt?

Antes de mais nada, é preciso dizer que, como Autoridade Central para esse assunto, a Secretaria Nacional de Justiça está trabalhando incessantemente em conjunto com a Advocacia Geral da União e com o Ministério das Relações Exteriores para extraditarmos o quanto antes o empresário Raul Schmidt. Ele é um foragido da Justiça brasileira, um personagem importante dentro da organização criminosa investigada na Operação Lava Jato e para nós é prioridade trazê-lo para responder por seus crimes no Brasil. 

Raul Schmidt esteve nas mãos do governo brasileiro por mais de um mês e não foi extraditado. O que houve?

Simples: a defesa dele interpôs vários recursos protelatórios na Justiça portuguesa, que seguidamente lhes negou provimento. Enquanto essas questões eram discutidas, o Estado português não tinha condições jurídicas de expedir a ordem administrativa de extradição. Acontece que paralelamente ele entrou com um habeas corpus no Tribunal de Relação de Lisboa, que acatou o pedido e suspendeu a efetivação da extradição. 

Ainda há como reverter? Ainda há como fazer a extradição?

Sim, certamente. O Tribunal de Relação de Lisboa tomou a decisão por uma questão de prazo para a execução. A alegação foi que não poderia ele ficar mais do que 45 dias preso, para ser extraditado. Acontece que o prazo se alongou exatamente porque a defesa dele provocou vários incidentes processuais na Justiça portuguesa. Isso está claro e a extradição acontecerá. Raul Schmidt responderá por seus crimes no Brasil.

Clique aqui para um briefing mais detalhado

Leia mais em Habeas Corpus não impede extradição de Raul Schmidt 

 

 

ASSINATURAMJ_PORTAL_0803_PARTE BCA.JPGASSINATURAMJ_PORTAL_0803.jpgFACEBOOK_ICON_2103.jpgYOUTUBE_ICON_2103.jpgTWITTER_ICON_2103.jpgFLICKR_ICON_2103.jpg

Conteúdo
Documento Raul by Christiana Suppa — last modified 11/05/2018 20h08